História:

 

Em 1986, a ideia “Eco-Escolas” foi implementada em vários países do Mundo, tendo por finalidade de introduzir os conceitos básicos sobre a protecção ambiental, a arborização, a qualidade do ambiente nas escolas. Hoje, a teoria e a prática do Programa “Eco-Escolas” são divulgadas globalmente, vários países e regiões como a China Continental, Hong Kong, Taiwan, Singapura, os Estados Unidos de América, o Canadá, a Austrália, a Índia, a Tailândia, a África do Sul já introduziram a ideia de “Eco-Escolas”, tendo realizado actividades a que diz respeito. Actualmente, o Programa “Eco-Escolas”, reconhecido e invocado a nível mundial, constitui um modelo sustentável e efectivo no âmbito de educação ambiental, implementado em vários países e regiões.

 

As bases e os objectivos do Plano de Parceria “Eco-Escolas”:

 

Ao longo dos últimos dez anos decorridos depois do retorno de Macau, o rápido desenvolvimento económico contribui ao impacto ambiental em vários aspectos: o aumento de número dos resíduos sólidos, a escassez dos recursos hídricos, o aumento contínuo do consumo de energias, a poluição, entre outros. A protecção do ambiente, a preservação de energia e baixo consumo de carbono já não são apenas temas a abordar nos livros, mas sim problemas intimamente relacionados com a vida quotidiana de cada um dos residentes de Macau.

 

Na sociedade, realizou-se diversos tipos discussão e trabalhos promocionais da educação sobre os problemas relacionados com o crescimento económico e desenvolvimento sustentável do ambiente, bem como, o nível da consciência ambiental pública que, tendo por finalidade, também, promover estilos de vida ecológicos aos residentes. A fim de divulgar de forma mais eficaz as informações ambientais e aprofundar os trabalhos de educação ambiental, é verdade que, existe uma necessidade de estabelecer uma plataforma clara para formar o futuro dono da “geração verde” que tenha responsabilidade pela protecção ambiental, de modo a fazê-lo compreender a importância da protecção ambiental para que eles pudessem, conscientemente, concretizá-la nas suas vidas quotidianas.

 

As escolas são partes integrantes importantes da sociedade e durante o seu funcionamento irão consumir substâncias, produtos, energias e, ao mesmo, produzir resíduos, por isso, como implementar a rentabilização dos recursos nas escolas é muito importante. Actualmente, Macau existe estimativamente 90 000 alunos e professores nas escolas primárias e secundárias, o que representa 1,6% da população total de Macau. No que concerne à educação ambiental das escolas, para o futuro ambiente de Macau é uma influência bastante profunda e de longo alcance. Nos últimos anos, as escolas de Macau estão a dar cada vez mais importância na educação básica de qualidade do ambiente, implementando várias características nos trabalhos para a promoção ambiental, tais como, algumas definiram políticas claras sobre a educação ambiental nas escolas, algumas deram importância no ensino da ecologia, procedendo a plantação orgânica e construção de jardins no terraço. As escolas têm usado diferentes métodos para que a protecção ambiental integrasse nas mesmas e na nossa vida quotidiana. Por outro lado, partes das entidades e serviços públicos também estão a promover as escolas, em diversas áreas, na implementação dos trabalhos da protecção ambiental, nomeadamente o “Grupo de Trabalho para a Construção de uma. Sociedade Economizadora de Água” concentra na promoção da sensibilização e consciencialização da poupança de água e divulgação dos dispositivos para economizar a água, o Gabinete para o Desenvolvimento do Sector Energético promove, através da conservação de energia e actividades culturais, nos alunos a cultivar a consciência da conservação de energia e, o Centro de Produtividade e Transferência de Tecnologia de Macau considera no “EnviroKids Program”. Todos estes trabalhos de divulgação facilitam a criação de “Eco-Escolas” de Macau.


O Plano de Parceria “Eco-Escolas” pode entender-se como uma “rede ecológica”, fornecendo uma plataforma aberta de intercâmbio para partilharem os conhecimentos, as experiências e os recursos; por um lado pode através da definição da meta, da auto-avaliação e de auto-participação das escolas, a sua vontade de concretizar no ensino e na vida quotidiana, bem como, a melhoria contínua das acções, de modo a aperfeiçoar os trabalhos relacionados com a protecção ambiental nas escolas. Por outro lado, pretende aproveitar ao máximo dos recursos existentes nesta fase para fornecer, de forma sistemática, as informações e actividades ambientais, bem como, para uma melhor integração e desenvolvimento dos programas de educação ambiental; poderá, ainda, através das acções de promoção, divulgação e de intercâmbio ajudar as “eco-escolas” a criarem uma imagem ecológica, parceria e partilhar resultados.

 

Visão para um Plano de Parceria “Eco-Escolas”:


O Plano de Parceria “Eco-Escolas” significa que as escolas, em base de atingir as suas funções básicas do ensino e tendo como núcleo o desenvolvimento sustentável, integrar a gestão ambiental e medidas de educação ambiental nos planos e políticas de desenvolvimento global da escola, melhorando-a de forma contínua e aproveitando ao máximo de todos os recursos e oportunidades existentes dentro e fora da escola, de modo a desenvolver plenamente e elevar a qualidade ambiental dos membros da escola

 

Portanto, o Plano de Parceria “Eco-Escolas” promove a continuidade da educação ambiental mediante os quatro elementos principais e que abrangem os seguintes conteúdos: 1) politica e gestão do ambiente das escolas; 2) espaços e Arquitectura das escolas; 3) plano pedagógico sobre o ambiente; e 4) Actividades escolares, familiares e comunitárias.

 

1) Politica e gestão do ambiente das escolas

 

2) Espaços e arquitectura das escolas

 

3) Plano pedagógico sobre o ambiente

 

4) Actividades escolares, familiares e comunitárias

 

Por isso, o Plano de Parceria “Eco-Escolas” pode ainda entender-se como uma plataforma de intercâmbio social. Para além de introduzir sistematicamente a consciência ambiental nas escolas, pretende ainda, através dos 90 000 alunos e professores dos jardim-de-infância e das escolas primárias e secundárias, transmitir informações ambientais para cada família, e deseja, através do Plano de Parceria “Eco-Escolas”, acumular, pouco a pouco, força ecológica (“green power”), construindo um situação ambiental tendo as “Escolas como núcleo de comunicação - influência da escola nos alunos - influência dos alunos na família - influência da família na comunidade – com a comunidade a espalhar por toda a sociedade”, para que possamos construir e usufruir em conjunto “Macau, centro de vida ecológica e de baixo carbono”.